quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Reminiscências

. I
.. .
pende do galho uma paisagem com pássaro preso
como coração com árvore nevada dentro.
tempo de voltar às montanhas,
aos cumes, se cobrir de nuvens.
.
deserto de alma preenchido de sol.
.
.
. II
.
deita-te na boca constelada.
o verbo foi maculado,
algumas crianças se perderam
e a infância ficou menor.
enlarguece a Casa
para caber as palavras infantis.
.
.
.III
..
a terra alimentada pelo mistério de tua sede
amanheça girassol doado ao ventre.
.
.
.
Texto e Colagem
Luciana Marinho

15 comentários:

  1. Este poema deixou um gosto dourado na boca: ouro velho, amarelo ouro, douradas impressões e sinestesias... Tudo lindo por aqui, amiga Lu, de alma alada, tão doce, tão delicada! Beijos translúcidos, salpicados de ouro antigo.

    ResponderExcluir
  2. Nossa seus versos são de uma profundidade delicada. Lindo

    ResponderExcluir
  3. Agradeço sua passagem pela minha página por vezes excessivamente gris, e mais ainda a oportunidade de conhecer a sutileza da sua poesia. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Bom vir aqui. São preciosas as imagens contidas em sua "Reminiscências".

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Muito bonito, Luciana!
    Bem delicado...
    bjs

    ResponderExcluir
  6. "amanheça girassol doado ao ventre."
    Se fosse só este "amanhecer" já seria impossível adjetivar sensibilidade e beleza!! LINDOOOOOOOOOOO!!!!!!
    Grande bjo!

    ResponderExcluir
  7. agora sei oq comentar! fodido!!!
    essa sua anlogia com verbos, palavras e sentimentos para o nosso próprio "mundinho" ficou bela!

    ResponderExcluir
  8. é tempo.


    lindas imagens :)

    um beijo, querida.

    ResponderExcluir
  9. Tu sabes o que é um En-canto?é mergulhar no azul de tuas palavras, Lu-Luzes!!
    De quando te leio e o meu dia corre bem melhor...

    Há-braços carregados de afecto, miuda!!

    Liah Maronni

    ResponderExcluir
  10. Pássaro preso dessas palavras. Assim mistério verbo que sou, pendida com a "boca constelada", de tanta sede, tanto ventre, tantos girassóis. Coisa mais bonita!

    ResponderExcluir
  11. "deserto de alma preenchido de sol"

    hoje, para mim, essa frase diz tudo...

    poema belíssimo!

    já disse que sou sua fã? :)

    beijos!

    ResponderExcluir
  12. Extremamente lírico, simbólico e belo.

    Parabéns.

    Agradeço sua visita e convido-a a conhecer meus outros blogs. É só clicar no link na barra lateral.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. sei lá
    poema muito bom
    nem sei o q falar
    sério
    só sei q gostei
    bom de ler

    ResponderExcluir
  14. Gostei profundamente do texto e colagem que Tânia partilhou em seu espaço... e vim conhecê-la um pouco mais!

    Esta colagem me seduziu, e a mensagem '...Algumas crianças se perderam
    e a infância ficou menor...' me sensibilizou :(

    Abraço,

    ResponderExcluir

Partilha

Nome

E-mail *

Mensagem *