segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Pássaros respirados

.
Quando o vento mergulha nas crianças
lavra seus abdomens de pássaros respirados. 
Mundo de enigmas, chão, breus 
e meninos com plantação de lótus nos pés.
.
É noite nos orifícios das crianças.
De seus póros caem os punhais herdados
- filhos do sombrio peito dos homens.

.
O silêncio faz crescer suas casas
e, sobre o tempo, a mão de ninho

desbravadora e crua.
.
.
Luciana Marinho
Texto e colagem

22 comentários:

  1. "e meninos com plantação de lótus nos pés."

    imagem encantadora...

    =*

    ResponderExcluir
  2. Força e delicadeza é este teu poema.
    Vento e poesia com palavras e pássaros respirados.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. lótus, punhais herdados, sombrio.

    gosto sempre da sonoridade das palavras, das expressões que vc usa :)

    e que linda a sua colagem!

    vc é uma artista :D


    um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Poxa, Luciana, você sempre surpreendendo com seu tremendo bom gosto.
    adorei esse post (como tudo o que você semeia aqui e floresce lindamente!).
    obrigado pela visitinha ao meu blog e pelo comentário carinhoso.
    abraço grande do
    roberto.

    ResponderExcluir
  5. Lembranças de um vento puro e majestoso capaz de apagar a culpa de travessuras infantis.

    ResponderExcluir
  6. Para crianças nada é só imaginação.

    ResponderExcluir
  7. Um poema que fala de heranças poéticas. Gostei das imagens. Vc esgrima muito bem seus versos potentes. Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Luciana,
    passei pra te deixar meus votos de um 2010 inspirado e feliz.
    Toda a luz que houver nessa vida, poeta!
    Abraço grande do
    Roberto.

    ResponderExcluir
  9. Enquanto "o silêncio faz crescer suas casas", com sutileza você constrói a poesia. Coisa de quem tem asas e está muito além do chão.

    ResponderExcluir
  10. vim aqui a procura de uma, duas, várias belas imagens suas, ditas e coladas. E encontrei. Pássaros respirados é de não esquecer mais...

    ResponderExcluir
  11. Teus poemas são ímpares, menina Lu!
    Espero, um dia, vê-los publicados em livro, impressos. Sempre permeados desta suavidade e melancolia próprias de tua alma delicada... Mui belo, e um tantinho triste, este poema, querida. Beijos alados!!!

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Poema repleto em lirismo.

    Gostei de seus poemas.

    Pouso por aqui.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. obrigada luciana - pelas tuas palavras lá no meu blog - gostei da tua escrita.
    besos

    ResponderExcluir
  15. Olá Luciana,

    Adorei os seus textos, e as colagens então... são uma maravilha!

    Vi que tem e-mail de contato e gostaria de fazer-lhe um convite.

    Um abraço e parabéns pelo seu talento.

    Tânia

    ResponderExcluir
  16. Passando para deixar mais beijos alados e translúcidos para ti, linda e delicada amiga Luciana!

    ResponderExcluir
  17. Encontrei teu blog por acaso e estou impressionada. Fantástica tua poesia. Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Poema que nos dá a dimensão lírica do crescer. Belíssimo!

    ResponderExcluir
  19. as suas colagens são muito boas mesmo
    gosto disso
    e o poema
    gosto dessa temática
    lótus frutos caídos sem vontade

    ResponderExcluir

Partilha

Nome

E-mail *

Mensagem *