quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Pássaros de Água

.
Sentava-se no mar até seu vestido crescer
como crescem as papoulas vistas num rio.
Sentia os plânctons dourarem seu ventre.
Seu ventre como pedra ancorada
desejando chuvas.
Sentia-se embebida no sargaço
no cheiro intolerável das coisas restando.
Quanto mais a brisa vinha
mais descia seu corpo
de mil tentáculos nascendo
e se afogava.
.
Colagem e texto Luciana Marinho
.

11 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. imagens de sonho que me alcançam...

    ResponderExcluir
  3. Lu...

    Como é doce navegar nesse a(Mar)...

    beijos, querida!!!

    ResponderExcluir
  4. Delicadeza e densidade, neste mar de asas, matizes, amores... nesta mistura de seres e sentires, neste vaivém de mares, neste rumor de sonhos, nestas espumas do querer... Beijos pintados, alados e mergulhados, LuciAna linda.

    ResponderExcluir
  5. imagem.

    é um quadro, lu.

    beijo.
    eu quero ouvir mais mentiras tão bem contadas.

    ResponderExcluir
  6. "Sentia-se embebida no sargaço
    no cheiro intolerável das coisas restando."

    Que coisa mais linda... Tenho pensado muito naquilo que falta e aquilo que resta também é falta de algo... Eu tenho pensado tanto nisso e vem você, simplicidade e delicadeza, transformando o que penso assim: duas linhas.


    Vou postar lá no orkut.

    Beijos

    Deyse

    ResponderExcluir
  7. Às vezes é preciso mergulhar fundo e "morrer"... para reencontrar-se, e renascer... BEijos em tua alma doce, LuciAna-luz...

    ResponderExcluir
  8. nossa...além dos estórias que vi, que bela poesia...linda..."seu ventre como pedra ancorada desejando chuvas"...nossa, nossa, nossa...amei !!!

    ResponderExcluir
  9. Lindíssimo Lu!!!!
    Cada palavra um sonho, mui lindo mesmo!!!!

    ResponderExcluir
  10. Quando estou na Net, sempre passo por Máquina Lírica, às vezes me pergunto? Para quê? E a resposta seria...
    Para admirar, o admirável, para elogiar, o que não precisa de elogio, pois é belo por si só, e termino desfrutando da beleza e descobrindo o encanto que cada pedacinho aqui tem.

    Um beijo no coração, Lu!!!!!

    ResponderExcluir
  11. "cheiro intolerável das coisas restando."

    lindo isso!
    e fala um pouco sobre o meu momento.

    com sua licença:

    cheiro intolerável do que de recente resta, resto ainda.


    beijão!

    ResponderExcluir

Partilha

Nome

E-mail *

Mensagem *