domingo, 3 de março de 2013




era do silêncio
ter os passos que acalmavam as águas,
as camadas de gelo sob as acácias.
ter as crianças que pressentiam o fim,
o recuo das árvores, 
             dos umbrais da primavera.

o que do abismo era íntimo corpo.




luciana marinho
fotografia e palavras

16 comentários:

  1. Poxa, Lu, já vai?
    Fará muita, muita falta...

    Sorte nas escavações abismais, do corpo, da alma.

    Um beijo grande :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. grata, natália.
      mas teu blog está em minha cabeceira..

      beijos.

      Excluir
  2. Luciana:

    Nos leemos a tu vuelta...

    Cuando el silencio se impone, hay que dejarlo entrar. Todo tiene su momento. Cuando vuelvas por aquí, volveremos a escucharte. O nos encontraremos en algún que otro rincón, del diálogo, de la emoción, o del silencio.

    Un abrazo enorme y añil para ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. querida índigo,

      grata sempre por tão acolhedoras palavras
      e pelo louvável banho de poesia que ofertas em teu blog.
      me faz muito, muito bem.

      grande abraço.

      Excluir
    2. Poesía eres tú, Luciana linda, cuando hablas y escribes pero también en silencio. Por eso tienes una máquina lírica. Besos, Lu.

      Excluir
    3. rs
      então, parafraseando a poeta orides fontela:

      bendita a fonte
      por nos congregar
      em torno da poesia.

      besitos.

      Excluir
  3. Também estou pensando em dar um tempo do meu blog.
    Sentirei sua falta.
    Beijo, flor, se cuida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e que flor larinha é, exalando poesia?
      a rosa, sobre quem clarice lispector escreveu:
      "quando profundamente aspirada toca no fundo íntimo do coração e deixa o interior do corpo inteiro perfumado."

      beijinho.

      Excluir
  4. Luciana,
    O brilho das suas palavras faz falta. Espero que não demore.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gratíssima, AC.
      um comentário assim vindo de uma pessoa que escreve a própria sensibilidade, eu guardo no coração.

      beijos.

      Excluir
  5. Que saudade incontida, desse espaço tão fabuloso...

    ResponderExcluir
  6. Ricardo e Regina Calmon disse...
    Coisas assim,amada fraterníssima minina libélula, advém de contidas emoções, assim como voce cria em blog teu, posts lindíssimos.
    Mesmo longe presente estará siempre!

    bzu no cuore

    11 de março de 2013 09:23

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. grata, queridos ri e re.
      é uma honra ir ao "pura magia" sentir o que move este mundo para o bem. é uma honra recebê-los aqui.

      beijinho!

      Excluir
  7. Vengo a dejarte un ramillete de ese silencio que has visto en las fotografías. Eres poesía. Gracias, Luciana. Un beso enorme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que bonito... valeu, querida. forte abraço.

      Excluir

Partilha

Nome

E-mail *

Mensagem *