sábado, 28 de julho de 2012

sementeira




ela queria ser plantada ao largo
com um chumaço de nuvem nas sobrancelhas
e ninhos no buraco do peito.
dizia que seu ventre dava para muitas coisas menos para filhos.

ninguém acreditava que era pelo ventre que cuidava dos filhos dos outros,
de seus retratos na escuridão, de suas vozes no ranger das portas,
de seus passos descalços da carne.
a começar pela casa vigiada por cães que atravessavam as paredes
e entravam no sonho de todos, o mistério se sentava à cabeceira da mesa
e tinha uma rosa que nunca envelhecia na lapela.
ela nascera quando as árvores ficaram seres vivos estranhos, de frutos e
flores secos, respiravam pouco e tinham pouca estatura.
enquanto o homem achava cada vez mais sombrio a vida envelhecer,
ela falava das esquecidas sequóias: "120 metros em pé por mais de mil anos!".
ao entardecer, lançava migalhas às beiras da escuridão
e aguardava os pássaros se conservarem acesos.

fotografia   martin stranka
palavras   luciana marinho

6 comentários:

  1. En una primera lectura me quedo con un regusto a atmósfera onírica de hadas, árboles, niños. La fotografía acrecienta ese misterio. Muy bellas palabras, Lu. Volveré a leerte, de nuevo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fiquei impressionada com a beleza das imagens de stranka.. o homem na fronteira de mundos, participando de seus mistérios.

      abraço imenso, índigo!

      Excluir
  2. Palavras tuas nos tocaram,de sublime forma...
    Viver é Sim,Pura Magia

    bzuz do casal
    re e ri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o "viver é pura magia" de vocês encanta!

      abraço forte
      em re e ri!

      Excluir
  3. lindas palavras, você passou sentimentos em cada palavra e pude recriar esse ambiente em minha mente... Incluí teu blog em meus blogs favoritos!!! http://luisprandel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luis, grata pelas palavras motivadoras.
      bem vindo!

      abraço!

      Excluir

Partilha

Nome

E-mail *

Mensagem *