segunda-feira, 22 de julho de 2013

à margem do caminho

para lara amaral


pero porque pido silencio
no crean que voy a morirme
me pasa todo lo contrario
sucede que voy a vivirme.

pablo neruda




vieram de onde o tempo é aragem funda nos olhos.





trouxeram o despenhadeiro ao fim dos pés.
a luz os percorreu e pôs, em suas bocas, 
rios afundados em vozes, amuletos.





a terra sangrou os confins de seus corpos, 
suas mãos peregrinas dos sargaços de um vento.



fotografias     aëla labbé
palavras     luciana marinho



 ❃ 


à margem do caminho segue dedicado à lara amaral. é um gesto afetuoso, que retribui a alegria de ter recebido de lara um poema (link abaixo) que me fez me olhar com mais poesia. por ser um compartilhar de percepções, sensibilidades, de companhia neste mundo, deixo aqui o caminho precioso para se chegar à escrita de lara, que é palavra sendo ação poética rara:



 ❂ 

12 comentários:

  1. Y me quedo en silencio para respetar el tuyo y sonrío al leerte. Y comparto este momento intenso. Volveré. Para volver a leerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. és tão bem vinda aqui, querida índigo. fazes parte da poesia! besos.

      Excluir
  2. Ah, Lu, que maravilha de presente. É disso que falo, ou tento falar, quando leio você. Sensações que versos como esses passam-me.
    Muito obrigada, é bom tê-la assim tão perto na poesia.
    Beijo grande, flor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico feliz que o meu agradecimento tenha vindo em poesia. a sensibilidade de "solfejo" foi me dando a mão até eu chegar "à margem do caminho". ^^

      beijos, querida!

      Excluir
  3. Lu, você faz poesia e é poesia. Alguns poetas são verdadeiros poemas. Esse poema é MUITO. E a Larinha está à altura dessa homenagem.

    Beijão,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tânia, grata por teu olhar acolhedor. também fico alegre por admirar a tua maneira de tratar as palavras na vida, a tua poesia. beijos, beijos.

      Excluir
  4. caí neste despenhadeiro de poesia e amei o voo! beijohnny! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e o máquina lírica só ganhou poesia com o teu salto ^^

      beijone!!

      Excluir
  5. Teus versos são sempre tão intensos, Lu.

    É como se cortasse parte de ti e lançasse numa arena de admiração para serem devorados por quem se põe senti-los...

    Ótima semana para você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. moa, meu querido, você foi lá onde as vibrações ainda não são palavras. para mim, destes um salto preciso. bons dias! abraço.

      Excluir
  6. Respostas
    1. grata, christina, pela partilha de sua impressão.

      abraço!

      Excluir

Partilha

Nome

E-mail *

Mensagem *